Publicações

Produtos editoriais e acadêmicos do cRio

Artigos Acadêmicos

lcc.png
lembrar.png

2020

Tecnologia social e consumo consciente na economia criativa:

o combate ao trabalho escravo no setor da moda

Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo: o objetivo é examinar como o aplicativo Moda Livre contribuiu para o combate ao trabalho escravo no setor da moda no Brasil. O argumento central aponta que, enquanto uma ferramenta de tecnologia social, o aplicativo ofereceu informações que permitiram alterar a decisão de compra de produtos de empresas mal avaliadas no combate ao trabalho escravo em sua cadeia produtiva, estimulando o consumo socialmente responsável. Entretanto, boa parte dos usuários continua a priorizar o status na aquisição de produtos de empresas que utilizam mão de obra escrava e preservar ganhos hedônicos em vez de defender trabalhadores submetidos às condições de trabalho degradantes.

Economia criativa: oportunidades e gargalos

para o seu fortalecimento na cidade do Rio de Janeiro

João Luiz de Figueiredo e Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo: o artigo trata da relação entre o campo da economia criativa e sua crescente associação aos debates sobre desenvolvimento, especialmente nas escalas local e regional. O objetivo principal é identificar as oportunidades e os gargalos para o fortalecimento da economia criativa na cidade do Rio de Janeiro por meio da análise dos dados secundários de diversas bases estatísticas utilizadas na construção do Índice de Desenvolvimento Potencial da Economia Criativa (IDPEC), o qual foi aplicado a todas as capitais do Brasil. Além dessa análise mais centrada na capital, o artigo também apresenta um panorama da economia criativa no estado e a sua concentração na capital. Os resultados, por um lado, revelam a importância das atividades criativas na economia da cidade do Rio de Janeiro, as quais podem ser mobilizadas como indutoras do desenvolvimento, todavia, por outro lado, identificamos gargalos a serem superados em fatores cruciais para o fortalecimento da economia criativa, especialmente os que se relacionam com a educação, atratividade da cidade do Rio de Janeiro e políticas de apoio a cultura.

2019

A Rede Carioca de Rodas de Samba e a produção independente de música

João Luiz de Figueiredo e Lara Muniz Araújo

Resumo: O objetivo do artigo é compreender as estratégias produtivas da produção independente de música no Rio de Janeiro frente às transformações estruturais provocadas na indústria pelo avanço da tecnologia digital. Pela escassez de pesquisas sobre artistas independentes, recorremos ao método de estudo de caso da Rede Carioca de Rodas de Samba. A coleta de dados foi realizada através de entrevistas semiestruturadas com os fundadores da Rede e com os realizadores das rodas de samba. Os resultados da pesquisa demonstram que a organização das rodas de samba em uma Rede apresenta-se como uma estratégia relevante para a potencialização da atividade cultural produzida em função do fortalecimento do diálogo com o poder público, porém ainda com inúmeros desafios a serem superados, especialmente com relação à viabilidade comercial das atividades.

The development potential index of creative economy for Brazilian federal state capitals

João Luiz de Figueiredo, Diego Santos Vieira de Jesus, Diogo Tavares Robaina e Cristina Lohmann Couri

Resumo: The article deals with the measurement of the potential dynamism of creative economy in the 26 capitals of Brazilian states and the Federal District. The central aim is to estimate the potential of creative economy in the selected cities through the creation and application of the Development Potential Index of Creative Economy, which is an index composed of secondary data. The methodological procedures consisted of three steps, the first one dedicated to the theoretical revision of some indexes previously constructed and applied to the understanding of the dynamism of the creative economy in several countries. In the second step, we selected the indicators for the analysis of Brazilian reality, which were aggregated into three dimensions: talent; attractiveness and connectivity; cultural environment and creative entrepreneurship. In the third step, we calculated the DPICE based on two techniques: one that assigned equal weights to the three dimensions and the other one that established diferente weights, using endogenous weights. The results confirm the regional inequality in Brazil, for the state capitals with greater development potential are located in the southeastern and Southern regions of Brazil, and show ways for public policies to strengthen the development of creative economy in those cities.

Urban Restructuring in Rio de Janeiro: Creative Economy and New Perspectives of Development

João Luiz de Figueiredo, João Grand Junior e Silvia Borges Corrêa

Resumo: The focus of this article is the urban restructuring of Rio de Janeiro’s central area. The key argument is that this process relates to a new phase of capitalism centred on the creative economy and the continuous search of the city for a new development model since 1960, when it ceased to be the capital of Brazil. Thus, the main objective of the paper is to analyse the urban restructuring of Rio de Janeiro’s central area, identifying its potential, limitations and risks in view of the valuing perspective of cultural assets as core elements of a new territorial development model. Through the interpretation of socioeconomic data and mapping of cultural facilities located in the area under discussion, we identify the enormous potential of the culture in playing a central role in the development of the city and the central area, but we recognize that merely the construction of new cultural facilities and infrastructure will not be enough to re-dynamise the local economy. Moreover, we point out the need to increase the residential occupation of the area without incurring in a gentrification process, as seen in many other cases of urban restructuring in cities around the world.

O Decreto No. 9.288 e a intervenção federal no Estado

do Rio de Janeiro: motivações e repercussões político-sociais e econômicas

Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo: Os objetivos são examinar por que o Presidente da República decidiu assinar o Decreto No. 9.288, que estabeleceu a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro, e investigar as repercussões político-sociais e econômicas da intervenção. Com base em Pinto Filho (2002), aponta-se que a intervenção, prevista nos artigos 34 e 36 da Constituição, visava a conter o comprometimento da ordem pública em face do agravamento da violência, num quadro de acirramento das crises política e econômico-financeira. Na análise de conteúdo realizada, as categorias utilizadas foram 1) a juridicidade da intervenção federal; 2) as suas motivações; 3) as suas repercussões. Os resultados apontam que se buscava com a intervenção a criação de um sistema mais robusto de segurança social, com coordenação mais estreita entre forças de segurança, capacidade operacional maior e inteligência integrada. Porém, os resultados na contenção da violência foram limitados, de forma que as repercussões foram a manutenção da descrença de grande parte da população em relação às forças de segurança e a queda da reputação internacional do Estado. Conclui-se que, para a contenção do comprometimento da ordem pública, as ações devem transcender a segurança pública e alimentar a percepção de coesão social no Rio de Janeiro.

Fato ou fake? A cobertura do G1 sobre o uso do WhatsApp

no processo eleitoral para o Governo do Rio de Janeiro em 2018

Adriane Buarque de Holanda e Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo: O objetivo é examinar como o portal de notícias G1 noticiou a veiculação de notícias pelo WhatsApp acerca  do  processo  eleitoral  de  2018  para  o  Governo  do  Rio  de  Janeiro.  O argumento central aponta que o G1 alertava sobre a possibilidade de propagação de notícias falsas pelo aplicativo e orientava a população a buscar a veracidade das informações antes de propagá-las. Embora o G1 seja mantido pelo Grupo Globo sob orientação da Central Globo de Jornalismo frequentemente acusada de  diferentes  níveis  de  manipulação  de interesses,  ele  permitiu,  no  caso  em  questão,  oferecer  a  vigilância  sobre  o  ambiente político ao prestar mais informações à população para a realização do voto.

 

2019

Rede Coletiva: cultura local como instrumento de capacitação

de jovens na Rocinha

Daniele Jacques Jacques e Silvia Borges Corrêa

Resumo: este artigo tem por objetivo descrever e analisar como os jovens moradores de uma favela situada no Rio de Janeiro - a Rocinha, popularmente conhecida como “a maior favela do Brasil”, vivenciam a cultura e os espaços relacionados à arte, à gastronomia e à música. Esses jovens compartilham uma identidade por serem moradores da Rocinha e a expressam nas suas produções culturais elaboradas no contexto da Rede Coletiva. Com base em um marco teórico fundamentado na antropologia e na economia criativa, o artigo contextualiza a importância da cultura na Rocinha, e traz como exemplo a Rede Coletiva da Rocinha, organização social criada por jovens moradores, que tem como principal objetivo produzir projetos culturais, e ao mesmo tempo capacitar outros jovens, também moradores do local, em novas habilidades ligadas, por exemplo, ao grafite, ao audiovisual, à dança, ao teatro, entre outros, valorizando a identidade local e a vivência na Rocinha.

Consumo e sociabilidade na Lavradio, a rua dos antiquários

Silvia Borges Corrêa e Veranise Jacubowski Correia Dubeux

Resumo: Neste artigo procura-se descrever as práticas de comercialização, de consumo e de sociabilidade presentes na Rua do Lavradio, no centro da cidade do Rio de Janeiro, que se destaca pela presença de antiquários. Balizado por uma pesquisa etnográfica, o estudo se insere na perspectiva antropológica do consumo e, portanto, lança luz aos aspectos de linguagem coletiva, de comunicação e de classificação social presentes nas práticas comerciais que ali se desenrolam. A Rua do Lavradio representa um caso em que o nome da rua confere aos estabelecimentos comerciais ali instalados uma simbologia positiva, de modo que aquela tradicional localização, por si, já representa uma espécie de garantia ou de certificação, sendo a rua um fator de reconhecimento a priori de qualidade. Estar naquela rua funciona como uma credencial aos antiquários.

Tiradentes cultural: sociabilidade e desenvolvimento territorial

na Praça Tiradentes

Silvia Borges Corrêa

Resumo: Com uma história que alterna períodos de efervescência social, de decadência econômica e de renascimento cultural, a Praça Tiradentes é campo para o entendimento das diferentes formas de apropriação e de utilização dos espaços, das múltiplas relações sociais que são tecidas e das forças de articulação que estão presentes em um espaço público localizado no centro da cidade do Rio de Janeiro. Este trabalho investiga a “ocupação” Tiradentes Cultural, que, desde 2015, acontece no primeiro sábado de cada mês, e busca refletir sobre o papel das atividades artísticas e criativas promovidas pela “ocupação” como indutoras do processo de transformação da Praça Tiradentes e do desenvolvimento territorial do seu entorno, que conta com a presença de diversos espaços e centros culturais. Através de trabalho de campo que conjuga etnografia e survey, procura-se entender a sociabilidade e as dinâmicas culturais, sociais e econômicas que têm lugar durante os sábados de Tiradentes Cultural.

 

2020

A Construção da Paisagem Carioca e o Turismo: dos Relatos dos Viajantes do Oitocentos aos Títulos de Patrimônio Mundial (em 2012) e de Capital Mundial da Arquitetura (em 2019)

Isabella Vicente Perrotta e Valeria Lima Guimarães

Partindo da ideia de que a paisagem é uma construção social que começa a ser concebida com o Romantismo e é ancorada em múltiplos referenciais, incluindo aspectos históricos e estéticos, o trabalho analisa o processo de construção da cidade do Rio de Janeiro enquanto local de natureza paradisíaca e suas influências na construção da imagem turística da cidade. O recorte temporal inicia-se com movimento de viajantes europeus para a cidade, ainda no século XIX, que resultou numa grande produção e circulação de imagens da cidade no exterior; passa pelas reformas urbanísticas dos primórdios do século XX, concomitantes ao início da construção do Rio como destino turístico; e chega até o tempo presente, com o reconhecimento pela UNESCO, em 2016, da cidade carioca como Patrimônio Mundial na categoria Paisagem Cultural (a primeira do mundo a receber o título). Nesta perspectiva, são analisados os discursos, narrativas e iconografias desses três momentos e movimentos, utilizando-se de pesquisas bibliográfica e documental. Como resultado, verifica-se que as imagens e os imaginários construídos (“paraíso tropical”, “cidade cosmopolita”, “singularidade dos modos de viver numa cidade com uma topografia bastante distinta”) influenciaram na modelagem da paisagem carioca, por meio dos quais a cidade seria reconhecida turisticamente.

2019

Museums: from metonymy to metaphors – examples of Rio de Janeiro

Isabella Vicente Perrotta e Lucia Santa Cruz

Traditionally, museums were supposed to be metonymical, meaning they showed off part of what they guard. But since the mid-twentieth century, museums can also be assembled as metaphors of what they represent. This article intends to discuss the reconstruction of the Museu Nacional from Brazil, after the fire that destroyed a great part of its collection and installations in September 2018. In which concept will Museu Nacional rely on to rebuild itself? Through bibliographic research, documentary research and in-depth interviews with Brazilian museums directors, this article points out that, even if Museu Nacional will remain a metonymical one, it has already achieved an aura of metaphor, especially due to people’s reaction to the burning tragedy.

RIO DE JANEIRO: PAISAGEM CULTURAL? Os significados identitários e os impactos no turismo do título de Patrimônio Mundial na categoria “Paisagem Cultural Urbana”

Isabella Vicente Perrotta e Valeria Lima Guimarães

Esse artigo parte do cenário de visibilidade internacional do Rio de Janeiro – construído em função dos grandes eventos que a cidade sediou a partir de 2007 –, para discutir expectativas e impactos, no setor turístico, do seu título de Patrimônio Mundial na categoria Paisagem Cultural Urbana, outorgado pela Unesco em 2012. A pesquisa analisa os conceitos de Patrimônio, Paisagem e Cultura, e as visões do Instituto do Patrimônio e Artístico Nacional – Iphan (no quediz respeito ao Brasil) e da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – Unesco (no que diz respeito à esfera mundial) sobre esses temas.

A marca Imperator: memória e construção de imagem

Vera Zunino Rosa

Resumo: artigo tem como objetivo apresentar brevemente o estudo da marca do Imperator, centro cultural
João Nogueira, no que se refere aos aspectos que vão além da sua identidade visual e seu valor, tais como o que a marca representa, a sua imagem, percebida e construída por seus frequentadores, bem como seu valor simbólico, que perpassa por sua história e importância para a região da zona norte da cidade do Rio de Janeiro. A memória afetiva, o resgate do passado ligado à marca e a construção de novos significados pautados no presente do equipamento cultural e nas relações com seus usuários, fazem parte do estudo de reconhecimento e distinção da marca. Assim como, levantar os componentes que conformam o significado da marca a partir de seus aspectos qualitativos e analisar as associações que transpassam o sentido da visualidade e delineiam seu potencial simbólico através da semiótica.

Muito mais que um museu: Museu Nacional e memórias coletivas

Lúcia Santa Cruz

Resumo: Este artigo propõe uma análise interpretativa de publicações, em redes sociais, de frequentadores do Museu Nacional, que utilizaram em suas postagens a hashtag #MuseuNacionalVive, após o incêndio que destruiu o prédio e grande parte do acervo deste equipamento cultural localizado no Rio de Janeiro, em setembro de 2018. Estas manifestações podem ser consideradas como processos de escavação e desvelamento da memória afetiva, uma vez que reportam experiências positivas do passado. Utilizando o conceito de memória coletiva de Halbwachs, a noção de dever de memória de Ricoeur e a perspectiva de McCracken, para quem o usuário atribui novos sentidos às exibições, exposições e objetos museais, o objetivo deste texto é discutir o museu como um espaço produtor de memórias, para além da sua função museológica, especialmente pelas lembranças individuais que ele evoca.

O Designer e a gráfica: parceria e informalidade

Mirella Migliari e Andréa Franco Aminger

Resumo: O setor gráfico situa-se no final da cadeia produtiva de um projeto de design gráfico, estando diretamente relacionado com sua produção. Nesta simbiose profissional entre designer gráfico e fornecedor gráfico, a ausência de leis mais robustas deixam transparecer diversas brechas que permitem distinguir uma relação permeada por informalidade, de um modo geral no segmento das pequenas empresas do setor no Brasil. Este artigo tem como objetivo avaliar a questão sob a ótica de uma gráfica de pequeno porte, com o nome fictício de Navio Serigrafia, a qual se situa no Estado do Rio de Janeiro, estabelecida sob o regime previsto no Simples Nacional. Para este estudo de caso estabeleceu-se como referência, na busca por subsídios técnicos, o relatório Diagnósticos e Mapeamentos Setoriais: Retrato Setorial Gráfico e Editorial, desenvolvido pela Firjan (2017), bem como as entrevistas realizadas com os sócios-proprietários da empresa “Navio Serigrafia”, a qual ilustra a tese proposta. Por fim, busca-se avaliar o impacto que tais informalidades e procedimentos poderão causar a ambas as áreas de atuação profissional envolvidas.

©2019 by cRio Think Tank da ESPM Rio. Criado e desenvolvido pelo HIBRIDA ESPM.